:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor



Alberto Cataldi
Fernando Fogliano
Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     TEATRO

Nova produção de Ricardo Karman integra
adultos e crianças numa incrível aventura


"O ator principal é o público. Todo o elenco é coadjuvante." - Ricardo Karman

Depois de ter seu talento consagrado com os espetáculos Viagem ao Centro da Terra (SP e RJ) e A Grande Viagem de Merlin, Ricardo Karman promete, outra vez, surpreender o público com uma inédita montagem: O Ilha do Tesouro. No melhor estilo do teatro-aventura, o espetáculo é uma desconstrução livre do clássico de R.L. Stevenson.

Dando continuidade à sua pesquisa multimídia com espetáculos processuais de grandes dimensões e pouco convencionais, Karman envolve agora adultos e crianças numa experiência original e única no Brasil. O espetáculo, ou melhor, a aventura - que tem pré-estréia para convidados marcada para os dias 7 e 8 de maio, sábado e domingo, no Teatro do Centro da Terra, às 15 horas - é o resultado de dois anos de intenso trabalho do diretor junto ao seu grupo, a Kompanhia Teatro Multimídia de São Paulo, além de artistas convidados e uma equipe de engenheiros, arquitetos, pedreiros, serralheiros, carpinteiros, pintores e técnicos. A estréia oficial para o público acontece no dia 14 maio, sábado, ás 15 horas.

O Ilha do Tesouro é um espetáculo itinerante e participativo integrando adultos e crianças em jogos lúdicos de aventura e de teatro. É uma expedição por dentro de um percurso-instalação de 500m feito de ambientes sensoriais especialmente criados, nos quais as crianças contracenam com os adultos. Não é apenas teatro, é uma experiência pessoal e uma aventura real (também simbólica) que ilustra claramente o conceito do público-herói que Karman desenvolve há 15 anos.

O que Karman apresenta não é uma peça de teatro convencional; muito longe disso, a começar pelo palco, que não existe e foi substituído por este labiríntico "penetrável" feito de madeira, lona e barro. Mas o teatro continua lá, pulsante, nos atores que com belos figurinos de época, insuflam o universo do fabuloso no imaginário dos participantes, fundindo fantasia com realidade; transformando cada passo dado no barro em uma nova dimensão do ato teatral.

Assim, alçadas à categoria de heróis, as crianças vivem concretamente as situações que a história lhes conta: se deslocam por alçapões verdadeiros, barrancos de barro, pontes de troncos, escadas de cordas, florestas e subterrâneos misteriosos. Em busca do tesouro e fugindo do inimigo. Nossos protagonistas não poderão simplesmente assistir a um espetáculo! Terão que contracenar com os terríveis piratas: pais, tios e avós, agora, no papel de antagonistas. Trata-se de uma nova maneira de vivenciar o teatro: imersos na história, integrados a seus colegas de aventura, adultos ou crianças. Batizado, pelo diretor, de teatro-aventura, por suas características particulares e bastante originais, este tipo de espetáculo é inédito no Brasil.

A insistência do diretor em fazer espetáculos com público reduzido (neste caso, 25 duplas de adultos e crianças) é para favorecer o envolvimento dos participantes fortuitamente juntos nesta ocasião. Um público maior deixaria escapar o sentido gregário que une as pessoas em situações estranhas, o que há de acontecer nesta aventura. Finalmente, o diretor argumenta que o verdadeiro sentido do espetáculo revela-se na relação afetiva entre pais e filhos e confessa: "a experiência da paternidade moveu-me a fazer O Ilha do Tesouro, mas sem que eu me desse conta, acho que acabei escondendo um pouco de amor de pai em algum baú de pirata." Karman tem dois filhos pequenos e um a caminho.

O texto e a concepção geral e espacial do percurso-instalação são também de Ricardo Karman. A cenografia e o figurino são assinados pelo premiado artista José de Anchieta. A cenotécnica e os adereços de época são de Fernando Brettas. A montagem das diversas instalações foi feita pelos próprios atores da Kompanhia.


A aventura:

A aventura inicia-se numa taverna de época, vizinha ao Teatro do Centro da Terra, onde um velho pirata conta a sua história. De repente, abre-se um alçapão no próprio chão da taverna e a dona convida as crianças, separadas de seus pais, a descerem para a caçada ao tesouro. O percurso-instalação prolonga-se pelo terreno vizinho ao teatro, pelos seus jardins, por dentro dos cinco andares do prédio onde se situa (coxias, palco, platéia, garagens) até, finalmente, acabar no nível da rua aonde tudo começou. Os pais vestem adereços e seguem por outros caminhos de modo a surpreenderem seus filhos em situações especialmente criadas para isso.

Depois de muitas aventuras lúdicas, experiências reais, desafios e iniciativas as crianças finalmente encontram o tesouro: o afeto e a segurança de quem os acompanhou durante toda a viagem (pais, avós, tios ou amigos). Mas o tesouro é também uma cebola: depois de descascar (ou abrir) muitos baús o tesouro nunca chega e o que sobra ao final é apenas o caminho percorrido, a experiência vivida e os bons momentos passados. Uma metáfora da vida...


Espetáculo: O Ilha do Tesouro - teatro-aventura
Uma experiência de integração entre adultos e crianças
Texto, concepção e direção: Ricardo Karman
Cenários e figurinos: José de Anchieta
Adereços e cenotécnica: Fernando Brettas
Atores: Francisco Carvalho, Yunes Chami, Mário de La Rosa, Tânia Tomáz, Regina Assen e Carolina Araújo

Dramaturgista e ass. de direção: Mário de La Rosa

Trilha Sonora: Estúdio Fine Tuning - Fotografia: Marcelo Lerner
Realização: Kompanhia Teatro Multimídia de São Paulo
Pré-estréia p/ convidados: Dias 7 e 8 de maio (sábado e domingo) - às 15 horas
Estréia p/ o público: Dia 14 de maio - sábado - às 15 horas
Local: Teatro do Centro da Terra
Rua Piracuama, 19 - Sumaré/SP - Tel: (11) 3675-1595
Ingressos: desacompanhados - adultos (R$ 60,00) e crianças (R$ 30,00)
Promoção para duplas (1 adulto + 1 criança): R$ 55,00
Temporada: Sábados e domingos - às 15 horas - Até dia 28/8/05
Gênero: Teatro-aventura - Duração: 1h45
Lotação: 50 pessoas (25 crianças + 25 adultos)
Recomendado para crianças de 6 a 11 anos. Restritivo fora desta faixa etária.
Espetáculo planejado para duplas (1 adulto + 1 criança).
Proibido para crianças menores que 6 anos e restrito para maiores que 11 anos.
Acesso controlado p/ adultos desacompanhados ou com mais de uma criança.
Pede-se que os adultos venham com camiseta preta.
Pede-se que as crianças tragam lanternas pequenas no bolso.
A produção avisa que as crianças se sujarão de lama e barro.

Espetáculo não recomendado para pessoas com dificuldades de locomoção, deficientes visuais, claustofóbicas ou crianças com medo de ficarem sozinhas - Aceita cheque e dinheiro - Bilheteira: de 3ª a 5ª (14h30 às 18h30), sex., sáb., dom. (14h30 às 17h). Ingressos por tel: 6846-6000 (Tickemaster). Estacionamento ao lado: R$ 5,00


Observações e recomendações - O Ilha do Tesouro é um espetáculo participativo no gênero teatro-aventura, portanto, todos farão alguma atividade dentro dele.
- Pede-se aos adultos que venham com camiseta preta.
- Pede-se às crianças que tragam lanterna pequena no bolso da calça.
- O espetáculo foi dimensionado para crianças entre 6 e 11 anos. Crianças fora desta faixa etária poderão comprometer as atividades propostas e a diversão dos demais.
- A produção reserva-se o direito de não permitir a entrada de crianças menores de 6 anos ou maiores do que 11 anos.
- O espetáculo foi planejado para duplas (uma criança e um adulto) que tenham relação afetiva entre si.
- Adultos ou crianças desacompanhados atrapalham a mecânica do espetáculo e terão acesso restrito e controlado.
- A produção não recomenda babás como acompanhantes de crianças.
- As crianças e alguns dos adultos percorrerão caminhos escuros com terra, barro, água e cordas.
- Possivelmente algumas crianças ficarão sujas de terra e um pouco molhadas.
- Haverá atividade física de deslocamento por obstáculos.
- Recomenda-se roupas de caminhadas: tênis, jeans e camiseta. - Evitar trazer bolsas, brincos, pulseiras, sapatos de salto alto e coisas que possam atrapalhar o caminhar, os movimentos e as ações.
- As crianças participam da aventura, separadas dos adultos, portanto, não é aconselhável para aquelas que tenham muito medo de ficarem sozinhas.
- Para qualquer eventualidade, os adultos, apesar de separados, estarão sempre muito próximos das crianças.
- O Teatro do Centro da Terra oferece todo o conforto e segurança de uma sala de espetáculos normal em caso de necessidade.