:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor


Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     TERCEIRO SETOR

Manguebats divulga Pernambuco atráves de ícones de sua cultura. O projeto quer estimular às micros e pequenas empresas a utilizarem elementos regionais em seus produtos e serviços

Por Maria Ana Sitonio

O projeto Manguebats é o primeiro registro iconográfico do Movimento Mangue Beat e traz no nome a mistura de Mangue Beat e Dingbats (desenhos que ocupam o lugar das fontes no teclado). O projeto é fruto de uma parceria entre o Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas de Pernambuco (Sebrae/PE) e a Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (AD-Diper). O Manguebats é composto de livro e CD-Rom e foi desenvolvido pelo programa Cara Brasileira, executado nacionalmente pelo Sebrae, que tem a proposta de divulgar e conscientizar os empresários para a utilização dos conceitos de brasilidade.

O objetivo do Manguebats é estimular às micros e pequenas empresas a utilizarem elementos da cultura regional em seus produtos e serviços, afim, de divulgar o Estado. "A idéia é pegar um bem intangível como, por exemplo, a Comadre Florzinha, que é uma lenda, e passá-la para o gráfico", disse Eduardo Maciel, idealizador e responsável pelo programa Via Design, do Sebrae/PE, que tem a função de aproximar o projeto das pequenas e médias empresas.

A escolha pelo tema Mangue Beat aconteceu porque ela tem um período curto de existência, de fácil localização e os seus criadores ainda estão vivos."Nesse primeiro momento, capturamos apenas as imagens do movimento mangue, que está comemorando 10 anos e ainda serve como uma referência muito forte para os pernambucanos e para quem está fora daqui", conta Eduardo Maciel. Futuramente, poderão ser lançadas coletâneas com símbolos do maracatu rural, do movimento armorial e das pinturas de Francisco Brennand.

Entre as empresas que já participam do Manguebats, estão a Matulão, a Cacarecos e a Arte e Uso, que fez uma linha de pires e xícaras com a iconografia Manguebats. De acordo com Eduardo, o público tem aceitado bem a iniciativa."Recebemos, até uma proposta da Revista Tupigrafia para montar uma exposição em São Paulo e outra no Rio de Janeiro", comenta. A equipe que participou da criação dos símbolos ‘Manguebats’ começa ainda no primeiro semestre de 2004 a divulgar seu produto não apenas entre as empresas pernambucanas, mas também em outros estados.

Serviço

O CD-Rom pode ser encontrado no Sebrae e custa R$ 15,00

Fonte:Intercidadania