:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor



Alberto Cataldi
Eliana Caminada
Fernando Fogliano
Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     TERCEIRO SETOR

União Européia seleciona projetos de defesa aos Direitos Humanos e contra a discriminação

A Iniciativa Européia para a Democracia e os Direitos Humanos (IEDDH) - uma ação lançada em 1994 pelo Parlamento Europeu, com o objetivo de fomentar os direitos humanos, a democracia e a resolução de conflitos - está com dois editais abertos de campanhas para promover os Direitos Humanos. A primeira campanha, "Promovendo a Igualdade, a Tolerância e a Paz", está focada nas questões relativas à discriminação racial e à xenobobia, nos direitos das minorias e povos indígenas. Já a segunda campanha, "Promovendo uma Cultura de Direitos Humanos", é um convite à apresentação de propostas de ações educativas de conscientização das sociedade civil, incluindo questões relativas às violação de direitos de grupos excluídos.

A campanha "Promovendo a Igualdade, a Tolerância e a Paz" pretende garantir a igualdade de direitos e tratamento das pessoas, independente de raça ou etnia, promover o diálogo intercultural e étnico, garantir o respeito aos direitos dos povos indígenas e reforçar o engajamento da sociedade civil na prevenção e solução de conflitos.

Destinando um montante de 215 mil euros, a campanha vai apoiar iniciativas voltadas para a adoção de políticas de antidiscriminação em geral, acesso ao emprego, educação, e representatividade nas esferas decisórias. Também serão aceitos projetos de organizações que trabalham contra a discriminação por meio do diálogo intercultural e inter-étnico, pelo fortalecimento de grupos comunitários e pelos meios de comunicação.

No campo da questão indígena, serão apoiados projetos de desenvolvimento institucional, realização de seminários fortalecimento de redes de organização indígenas. A ação não pode durar mais de 18 meses.

Os projetos devem ter orçamento mínimo de 50 mil euros e máximo de 100 mil euros. E devem ser apresentados por organizações sem fins lucrativos, com sede no Brasil, que são responsáveis diretas pela elaboração e gestão da ação. As organizações também devem atuar na área há pelo menos cinco anos, e ter uma média anual de receitas nos últimos três anos superior a R$ 150 mil. Entre os critérios de seleção estão a avaliação da qualidade técnica das propostas e do orçamento apresentado.

A campanha "Promovendo uma Cultura de Direitos Humanos", por sua vez, vai selecionar projetos educativos, de formação, monitoramento e conscientização da sociedade sobre os direitos humanos, e que atuem contra a violação dos direitos entre grupos marginalizados e, sobretudo, contra a tortura.

Com isso, a campanha pretende fortalecer organizações da sociedade civil que atuam na defesa de grupos vulneráveis ao descumprimento dos direitos humanos, e diminuir a ocorrência da tortura a partir da aplicação de instrumentos internacionais de prevenção e reabilitação das vítimas da tortura.

As ações devem estar inseridas em um dos seguintes eixos: Promoção dos direitos de grupos marginalizados ou vulneráveis (incluindo projetos no campo dos direitos da infância, das mulheres, combate ao tráfico de crianças e mulheres, e proteção aos defensores dos direitos humanos); Prevenção da tortura e reabilitação (iniciativas focadas nos servidores do Judiciário, Ministério Público, funcionários do sistema carcerário e policial, bem como ações de monitoramento, pesquisa e denúncia de práticas de tortura); e Reabilitação de vítimas da tortura (projetos que atuem diretamente com a vítima ou que proponham o fortalecimento de centros de reabilitação).

Para essa campanha, serão destinados 465 mil euros. Podem participar da seleção projetos cujo orçamento varia entre 50 mil e 100 mil euros, realizados por organizações não governamentais ou indígenas, sem fins lucrativos, com sede no Brasil e diretamente responsáveis pela elaboração e gestão da ação. As organizações devem existir há pelo menos cinco anos, ter experiência comprovada na área e orçamento anual, nos últimos três anos, superior a R$ 150 mil. A duração do projeto não pode ser superior a 18 meses. E a prioridade será dada a projetos dirigidos por grupos excluídos.

Os interessados em qualquer uma das campanhas devem preencher os formulários disponíveis no site e enviá-los ao endereço: Delegação da Comissão Européia no Brasil, Seção de Contratos e Finanças, SHIS QI 07, Bloco A, Lago Sul, CEP 71615-205, Brasília – DF. Para os projetos no âmbito da primeira campanha, o envelope deve conter o seguinte número do edital: EuropeAide/122-117/L/G/BR (DDH). Já os concorrentes para a segunda campanha devem colocar no envelope o número de edital EuropeAid/122-116/L/G/BR (DDH).

As propostas serão aceitas o dia 24 de janeiro de 2006, às 17H00 (horário de Brasília). Não serão aceitos pedidos enviados por fax ou correio eletrônico. Mais informações podem ser solicitadas pelo e-mail delegation-brazil-cooperacao@cec.eu.int ou pelo fax (61) 21043141.


Fonte: www.setor3.com.br