:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor



Fernando Fogliano
Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     MÚSICA

Pixinguinha reaparece em homenagem na Sala Funarte em 2005

Palco de shows inesquecíveis que marcaram a história da música popular no Rio de Janeiro, a Sala Funarte Sidney Miller volta às atividades no próximo dia 22, após dois anos fechada para obras estruturais e melhoramento das instalações técnicas.

Para marcar a reinauguração do espaço, em grande estilo, o Centro de Música da Fundação Nacional de Artes (Cemus/Funarte) programou uma série de espetáculos do Projeto Pixinguinha.

Entre os dias 22 e 25 de fevereiro, o público poderá conferir quatro grandes encontros musicais com apresentações dos artistas Jussara Silveira, Teresa Cristina e de bambas do samba que circulam no espaço desde sua criação, como Monarco (foto à direita) e Nelson Sargento, entre outros da MPB.

Com cerca de 250 lugares, a Sala Funarte Sidney Miller está localizada no andar térreo do Palácio da Cultura Gustavo Capanema (Rua da Imprensa, nº 16 - Centro).


Programação
Dia 22 - Arismar do Espírito Santo, Áurea Martins, Chiko Queiroga & Antônio Rogério e Nelson Sargento
Dia 23 - Ivor Lancelloti, Monarco, Roque Ferreira e Teresa Cristina
Dia 24 - Jussara Silveira (foto abaixo, à esquerda), Mônica Tomasi, Nenê Quarteto e Tião Carvalho
Dia 25 - Billy Blanco, Sebastião Tapajós, Tambolelê (foto abaixo, à direita) e Titane


Outros Espetáculos
A ocupação da Sala Funarte Sidney Miller é feita mediante edital público. Os 60 artistas selecionados no último certame serão os primeiros a serem chamados. Já estão programados espetáculos com Hamilton de Hollanda (28/2 e 1°/3), Marcio Montarroyos Quarteto (2, 3 e 4/3), Continentrio (8, 9 e 10/3), Xangai (16, 17 e 18/3), Fernando Moura (23, 24 e 25/3) e Telma Tavares (dias 30 e 31/3).

Os shows, todos com entrada franca, serão realizados sempre às 18h30. A relação completa dos artistas que ocuparão a Sala em 2005 pode ser conferida no site da Funarte (www.funarte.gov.br). Mais informações: (21) 2279-8105 e 2262-0481 ou salafunart@funarte.gov.br.


A história da Sala Funarte
Inaugurado no dia 26 de maio de 1978, o espaço já abrigou inúmeros espetáculos de música popular, erudita, dança e outras manifestações artísticas, como peças teatrais, exibições de filmes, conferências e seminários sobre temas ligados à cultura.

Projetos como Vitrine, Seis e meia, Série Carnavalesca e Ciclos de Música Brasileira Erudita foram recorrentes na Sala Funarte durante as décadas de 70 e 80, atraindo um público diversificado e numeroso. Espetáculos com novos talentos revelaram artistas que se destacam no cenário musical do país, como Elba Ramalho, Ângela Rô Rô, Leila Pinheiro e Zizi Possi.

Nesses 26 anos de existência, muita gente boa passou pela casa em apresentações marcantes como as de Nana Caymmi, Joyce, Paulinho da Viola, Lana Bittencourt, Isaurinha Garcia, Doris Monteiro, Billy Blanco, Quarteto em Cy, Wilson Moreira e Nei Lopes.

A programação da Sala Funarte Sidney Miller sempre esteve na vanguarda da música brasileira e, por isso, se destacou no meio cultural do país como um espaço de experimentação para novas linguagens musicais, além de ser um palco também aberto aos valores consagrados que, por falta de espaço na mídia, ficaram relegados a um segundo plano no cenário artístico brasileiro. Nesse contexto voltaram à cena musical nomes como Aracy Cortes, Nelson Sargento e Ademilde Fonseca.

Um dos maiores sucessos da Sala em toda a sua trajetória foi o show Cantoras do Rádio que reuniu grandes nomes da tradicional elite musical brasileira. O espetáculo idealizado por Érico de Freitas, então diretor de programação, começou modestamente em 1988, como parte das comemorações dos 10 anos de existência da Sala Funarte, ainda agregada ao Museu Nacional de Belas Artes. Reuniu as cantoras Nora Ney, Rosita Gonzalez, Zezé Gonzaga, Carmélia Alves, Violeta Cavalcanti e Ellen, dirigidas por Flávio Marinho e deu tão certo que correu o Brasil até 1994 com o mesmo elenco.

Com produções bem cuidadas, preços populares e shows em horários alternativos, a Sala conquistou um público cativo, oriundo dos mais diversos segmentos da sociedade.


Uma justa homenagem
Compositor carioca, Sidney Miller revelou seu talento para a música ainda criança. Aprendeu a tocar violão sozinho e na década de 60 despontou como compositor. Participou de festivais de música, classificando algumas de suas canções. Foi um dos criadores dos espetáculos Yes, nós temos Braguinha e Carnavália, com a cantora Marlene. Musicou peças de teatro criou trilhas sonoras para cinema e é autor do livro João e o pó. Quando morreu, trabalhava no departamento de Projetos Especiais da Funarte. Em sua homenagem, a Sala Funarte recebeu o seu nome em reconhecimento de sua obra e sua dedicação à divulgação dos novos e eternos valores da MPB.


(Fonte: Ascom/Funarte)