:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor


Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     INTERNET
BBC Brasil

Google vai oferecer acervo de bibliotecas famosas

Digitalização de livros vai demorar seis anos

As bibliotecas de cinco das mais importantes instituições acadêmicas do mundo estarão, daqui a alguns anos, disponíveis através do site de buscas Google.

O site vem trabalhando na digitalização de livros dessas instituições, que poderão ser acessados pelos internautas.

Os usuários da rede vão ter a chance de ler obras de toda a coleção das universidades de Michigan e Stanford, nos Estados Unidos, além de coleções menores das universidades de Harvard (EUA), Oxford (Grã-Bretanha) e da Biblioteca Pública de Nova York.

Páginas escaneadas dos livros em domínio público estarão disponíveis na íntegra no Google. Já os livros protegidos por direitos autorais serão disponibilizados por meio de resumos e bibliografias.

O conteúdo não terá anúncios, mas terá um link para o site de vendas eletrônicas Amazon.

"O objetivo desse projeto é liberar a riqueza de informações que está fora da internet para os usuários da rede," disse Susan Wojcicki, diretora de gerenciamento de produtos do Google.


Empréstimos

Além disso, estarão disponíveis no Google atalhos para outras bibliotecas públicas, permitindo que os internautas peguem livros emprestados.

O Google não vai cobrar pelo serviço.

Serão gastos seis anos para digitalizar toda a coleção de livros da Universidade de Michigan, que possui seis milhões de volumes.

A Universidade de Harvard está permitindo a digitalização de apenas 40 mil volumes de seu acervo. Já a Universidade de Oxford quer que o site de busca digitalize a coleção da biblioteca publicada originalmente antes de 1901.

"É uma oportunidade significativa de oferecer o nosso material para o resto do mundo," disse Paul LeClerc, presidente da Biblioteca Pública de Nova York.