:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor



Fernando Fogliano
Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     ROSELI PEREIRA

Básico
Combinar roupas e acessórios não requer prática e nem tampouco habilidade


Por Roseli Pereira*

Quem acredita que a arte da combinação consiste basicamente na escolha das cores, está redondamente enganado. Na verdade, trata-se de optar pelas peças corretas, o que é muito mais uma questão de lógica do que de tonalidade.

A essa altura do campeonato, muitos irão se perguntar se uma coisa séria como a "Lógica" pode ser aplicada impunemente a um ato banal como o de cobrir o corpo, ou pelo menos as partes pudendas. Oras, é lógico que pode. Tanto pode que até existem roupas especialmente criadas para que não passemos frio durante o inverno, outras que não nos deixam passar muito calor no verão e, até mesmo, roupas apropriadas para a prática das mais diferentes modalidades esportivas. Isso além de uma infinidade de outros casos. Percebe a lógica? Então, pra quê misturar tudo? Para ficar com aquele jeitão esquisito de gringo que vai à praia de bermudas e sapato social? Pois você pode passar sem essa, acredite.

Nenhum adulto responsável deveria, por exemplo, se deixar convencer de que usar sandália com meia é coisa de gente normal, ainda que a sandália seja fechada e que a meia seja bem fininha. Afinal, pelo menos até onde a minha vista alcança, a função das meias é esquentar os pés e o das sandálias é refrescar. Percebe a falta de lógica? Pois é. E não adianta apelar para a estética, porque até ela concorda comigo.

Se não concordasse, aliás, ninguém sequer teria pensando em inventar meias sem costura na ponta ou meias que nem ponta têm, para disfarçar o contrasenso deixando os artelhinhos ao ar livre. Fique atento a esse tipo de emenda - ou, no caso, falta de emenda - que ele sempre fica pior do que o soneto.

Não estar contente com o aspecto geral das próprias pernas não é, em hipótese nenhuma, motivo suficiente para que alguém comprometa a sua imagem pública. Se é este o seu caso, apele para as saias longas, calças compridas e pantalonas, pelo menos até conseguir horário na depilação ou para tomar um pouquinho de sol.

Fingidor competente faz questão de usar a lógica, ao invés de usar blusa de lã com sandálias, calça social com camiseta, moleton com salto alto, mini-saia com botinhas, jóias com roupa de banho e combinações revoltantes afins. Se você levar isso a sério, vai ficar bem na fita em qualquer ocasião.


Não perca, na próxima semana: "Comportamento civilizado durante as refeições I - Serviço à francesa."




* Roseli Pereira (quarenta e uns) é paulista, redatora publicitária e corinthiana (nesta ordem). Escreve desde sempre, mas só começou a desengavetar seus textos no dia em que descobriu a Internet. Dali em diante, foi ficando cada vez mais cara de pau e ganhou o papel. Atualmente, tem crônicas publicadas em 3 das 4 antologias dos Anjos de Prata e em alguns jornais do interior do Estado de São Paulo.