:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor



Alberto Cataldi
Eliana Caminada
Fernando Fogliano
Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     COLUNA POP-UP

22/07/05


Má influência


Por Alberto Cataldi* divulgação

O rock sempre teve garotos maus. Mesmo os Beatles, lá no começo, eram ditos rebeldes. Má influência incorporada com cabelos "compridos" e jaquetas de couro (sim, eles usaram jaquetas antes dos terninhos). Hoje, não muda muito. O mau exemplo da hora é Pete Doherty, ex-vocalista do Libertines e atual líder do Babyshambles.

O Libertines surgiu em 2001, após a febre Strokes. Apareceram com jeito rebelde, músicas deselegantes e som cru. Sucesso instantâneo. O primeiro álbum da banda realmente é muito bom. Traz uma sonoridade que havia ficado esquecida lá por volta do princípio do punk inglês. Acontece que Pete afundou-se nas drogas de tal maneira que nem a banda suportava mais. Foi assim que, no auge da carreira, o vocalista foi expulso, e o restante da banda continuou por pouco tempo até se dissolver no começo deste ano.

Pete tentou tratamento, se afastou das drogas, da bebida, enfim, "se limpou" pela música. Fundou o Babyshambles, com promessas de um novo passo na reinvenção do rock inglês. Eles fizeram alguns shows pela Europa, sempre com casas lotadas e elogios rasgados da imprensa. Para se ter uma idéia, antes mesmo de gravar um cedê, uma música deles tornou-se mito e é um hino atual por lá. "Fuck Forever" é uma espécie de single onipresente. Todos conhecem, todos cantam, e toca na rádio o tempo todo..

divulgação No auge da popularidade da banda, eles foram convidados para tocar no Live 8 e abrir a nova turnê do Oásis, preparando terreno o seu primeiro álbum. Mas aí, o previsível aconteceu: Pete Doherty.

Faltava algumas horas para começar o show do Oasis em Southampton e, onde estava Pete? Alguém recebe uma ligação do sujeito e, com voz bêbada e desorientada, ele diz mais ou menos assim: "estou na França. Estava na festa de Fulano. Perdi meu vôo". Os irmãos Gallager fizeram o show sem a abertura e riscaram o Babyshambles de sua lista.

A última surpresa está acontecendo com a turnê da banda, que foi adiada. Segundo boatos, o garoto-mau do rock quer demitir os outros integrantes e está infeliz com o pouco sucesso que "F.F." fez nas rádios, nem a metade do que os produtores prometiam. É possível que as crises de Pete acabem com a banda antes mesmo da estrear.

Será este o fim da maior banda de um só hit nos últimos tempos? Só o tempo e a dosagem alcoólica de Pete dirão...

divulgação E tudo mundo correndo pro cinema assistir a nova Fantástica Fábrica de Chocolate, com direito a Tim Burton na direção e Johnny Depp como um Willy Wonka que é a cara do Michael Jackson... Cuidado crianças! Já li em alguns jornais e revistas que mudaram as músicas dos Woompa-Loompas. Não sei se fico feliz ou triste. Tudo vai depender de serem menos ou mais pegajosas do que as originais.

Segunda-feira que vem tem o penúltimo episódio de LOST, não vá perder! E esta coluna promete: vai dedicar algumas linhas comentando a série assim que o último episódio for ao ar aqui no Brasil. É esperar para ver.


Três acordes: Eles estão chegando

divulgação @ Terça que vem chega às lojas o novo álbum dos cariocas Los Hermanos. A comunidade indie está em polvorosa!... Mas, falando sério, vai se chamar 4 (quarto álbum da banda? Quatro integrantes?). A capa é esta aí ao lado, com cara de desenho fractal infantil, sem nada escrito. A música que você pode ouvir no site oficial e nas emissoras é "O Vento", cantada por Rodrigo Amarante e que já foi comentada na Pop-up. Pegajosa, lembra anos 80 e tem letra existencialista. Muito bacana. Da simplicidade da arte ao clima das canções, tudo sugere uma olhada para a nova música indie mundial de Wilco, Bright Eyes e Bloc Party. É esperar para ver.

As músicas são:
01. Dois Barcos
02. Primeiro Andar
03. Fez-se Mar
04. Paquetá
05. Os Pássaros
06. Morena
07. O Vento
08. Horizonte Distante
09. Condicional
10. Sapato Novo
11. Pois É
12. É de Lágrima

@ Outra banda que lançou seu setlist na rede é a islandesa Sigur Rós, uma das favoritas dessa coluna. O grupo de rock-indie-etéreo (já que é para rotular...) vai batizar o quarto trabalho da banda de "Takk..." ("obrigado", em islandês). O álbum sai em 21 de setembro pela EMI no exterior, e chega aqui sabe-se-lá-quando. A música que leva o nome do disco será o primeiro single. As faixas serão as seguintes:
1. takk...
2. glósóli
3. hoppípolla
4. með blóðnasir
5. sé lest
6. sæglópur
7. milano
8. gong
9. andvari
10. svo hljótt
12. heysátan

E não se preocupe em não entender os nomes pois o idioma, para eles, nunca foi fundamental. O último álbum do grupo, por exemplo, chama-se "( )". Isso mesmo, parênteses.

@ É a prova de fogo para o Franz Ferdinand. O segundo álbum deles está quase lá. Alex Kapranos, o estiloso vocalista, revelou que o álbum deverá se chamar... Franz Ferdinand. De novo? Sim. A capa - que inicialmente seria igual a do primeiro álbum, mas com fundo branco - será preta, vermelha e verde, trazendo uma garota gritando o nome da banda em letras garrafais. O primeiro single será "Do You Want To", baseado nas diversas propostas indecorosas que Alex recebeu ao voltar para sua cidade natal depois de ficar famoso. Outras possíveis músicas do tracklist são "Turn It On", "The Fallen" e "Walk Away". O segundo do Franz chega às lojas em 3 de outubro.

E é isso. Os sites das bandas citadas são, respectivamente, Babyshambles, Los Hermanos, Sigur Rós e Franz Ferdinand. Divirta-se clicando.





*Alberto Cataldi, 20 anos, é paulista, estudante e estagiário de jornalismo. Aprendeu a gostar de música com o U2, de cinema com De Volta Para o Futuro e de literatura com quadrinhos do Batman. Escreve na Wooz sobre música e cultura pop, e acha isso muito divertido. Não gosta de fazer listas de coisas preferidas, porque sempre esquece alguma importante, e isso o deixa transtornado.