:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor


Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     CULTURA
Ministérios se unem para recuperar Museu Nacional

Um projeto audacioso irá destinar R$ 40 milhões para obras no Museu Nacional, na Quinta Boa Vista, no Rio de Janeiro. E para recuperar o maior museu de História Natural da América Latina, seis ministérios estão se unindo (Cultura, Educação, Ciência e Tecnologia, Turismo, Esporte e Meio Ambiente) e firmam protocolos de cooperação e de intenção com o intuito de revitalizar o Museu, que pertence a Universidade Federal do Rio de Janeiro (MEC).

Serão R$ 20 milhões para a restauração e a outra metade para a construção de novos blocos, que irão abrigar, por exemplo, coleções científicas, laboratórios, cursos de pós-graduação em Antropologia Social. Desse total, mais de R$ 1,8 milhão já foram liberados. O investimento é da Petrobrás, via Lei Rouanet. Até o final do Governo Lula, toda a verba da União para o Museu terá sido liberada.

"O Museu Nacional, para o Brasil, é como se fosse o Museu Britânico para a Inglaterra. Essa obra significa o fortalecimento da identidade nacional brasileira e ajuda a projetar o Brasil mundialmente, já que o museu representa também a diversidade da cultura universal: com acervo sobre esquimós, índios do altiplano andino, os povos egípcios e outros.", avalia Márcio Meira, secretário de Articulação Institucional e Difusão Cultural do MinC.


O Museu

O Museu Nacional foi criado por Dom João VI, em 1818. É a mais antiga instituição nacional dedicada à ciência geral. Ocupa desde 1892 o antigo Paço imperial de São Cristóvão na Quinta da Boa Vista, prédio que, durante um século (1808 a 1889) abrigou a família real portuguesa, posteriormente família imperial brasileira. De 1889 a 1891, o prédio abrigou os trabalhos da 1ª Assembléia Constituinte Republicana, sob a presidência de Prudente de Morais. O Museu integra a Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 1946, no espaço do Museu são desenvolvidas atividades acadêmicas, como Antropologia, Arqueologia, Linguística, Geologia, Paleontologia, Botânica e Zoologia. Sua dependências abrigam as coleções científicas constituídas desde o início do século XIX, os laboratórios e gabinetes e cursos de pós-graduação.

(Daniella Borges)


Fonte: MinC - www.cultura.gov.br