:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor


Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     CULTURA
Discurso do Ministro da Cultura Gilberto Gil, na reunião de lançamento do Fórum Cultural Mundial, em São Paulo.

Gostaria de agradecer a todos nesta mesa, às entidades culturais, às pessoas convidadas diretamente envolvidas ou minimamente interessadas na questão cultural em seu grande sentido e àqueles que vieram de outros estados a esse seminário. Menciono também a presença clara, nítida dessa dimensão explicitada, especificada, personalizada aqui dessa grande questão brasileira em termos de território, em termos de povos, linguagens, língua, uma língua portuguesa extraordinariamente dinamizada pela história brasileira formando suas sub-línguas, suas falas, que proporcionam essas conversas múltiplas entre esses vários brasis. Tudo isso vejo aqui nesse pequeno auditório e tudo isso me dá exatamente a dimensão daquilo que me atrai, daquilo que os atrai, daquilo que envolve profundamente os brasileiros, especialmente o nosso presidente da República nesse momento. Isso que dá a ele essa sensação profunda de que temos um trabalho enorme a realizar, de que temos que trazer essa dimensão profunda da cultura brasileira para o estado de nossa consciência. De que a gente tem que recolocar a questão cultural e a dimensão cultural brasileira em plena exposição ao sol da vida republicana para que essa fotossíntese, usando aqui um termo que o meu secretário-executivo Juca Ferreira gosta muito de usar, criando essa carga extra de clorofila cultural para que com ela a gente possa ter uma saúde e dignificar esse corpo social brasileiro onde a cultura tem um papel extraordinário de argamassa, de ligação entre todos os setores produtivos que absorvem cada vez mais consciência tecnológica.

É assim que o Ministério da Cultura quer ver o fenômeno cultural, o fenômeno social e produtivo, que com todas essas interseções, com todas essas sinapses desse grande cérebro que cria hoje essa grande consciência da vida moderna, da vida contemporânea.

Eu estava lá no Ministério pensando já no Fórum Mundial. Eu tinha conversado com [o ex-ministro da Cultura na França] Jacques Lang, que já tinha falado também com o Manuel Carrilho, ex ministro da Cultura de Portugal. Já tínhamos nos contatado com Walter del Trone, que hoje é prefeito de Roma e que foi ministro da Cultura da Itália, ele aliás o criador da loteria que beneficia o patrimônio histórico na Itália, uma das inspiradoras da nossa loteria que queremos fazer no Brasil que estamos batalhando. Antônio Grassi, especialmente, o nosso presidente da Funarte aqui presente, um dos batalhadores por esse processo, ele que já havia idealizado a loteria nesses moldes para o Rio de Janeiro quando secretário de Cultura da Benedita Barbosa. Então, esse grupo que está se constituindo como um Grupo de Amigos da Cultura do Brasil, eu queria que dentre as coisas que eles fizessem inicialmente nos ajudasse a fazer um Fórum Internacional.

Eis que chegam em nosso gabinete em Brasília o Ruy Cezar e o [Walter Roberto] Malta dizendo, "olha nós, no âmbito das nossas instituições, no âmbito dessa acumulação extraordinária que eles já vem criando nesses últimos anos com a realização de quatro mercados culturais importantíssimos que sensibilizaram toda uma franja da cultura européia, da economia cultural européia, de uma franja nos países árabes, uma franja na Ásia e uma coisa que já não pode nem mais se chamar de franja que é esse conjunto das Américas, enfim, que tem se juntado a eles nesse processo todo desses anos. Então, em quatro anos de apuração extraordinária desse mercado, eles então chegam no ministério me dizendo: "queremos fazer um Fórum Cultural Mundial". Eu disse: "eu também estou fazendo um aqui, vamos embora, vamos juntar, vamos adotar exatamente esse princípio de que as mãos dadas e as sinergias provocadas em conjuntos cada vez mais amplos é exatamente o caminho que queremos seguir, mãos á obra, tragam o esboço do projeto". Enfim, dois ou três meses depois estão eles aqui, exatamente lançando, junto com a prefeitura de São Paulo, que vai ser uma contribuição extraordinária também para esse conjunto amplo, abrangente de parcerias - temos o sesc aqui representado, essa extraordinária organização que tem feito pela cultura do Brasil um trabalho extraordinário, equipando o Brasil com unidades extraordinárias de concentração de atividades culturais, educacionais e etc-, a secretaria de cultura de São Paulo não poderia deixar de estar aqui ao lado sua prefeita, vocês todos aqui...

As outras questões, o Fórum em si, o que ele vai realizar, a extraordinária possibilidade de sinergia que ele terá com o Fórum de Barcelona que estará se realizando no mesmo ano. Enfim, essa grande mobilização internacional que coloca exatamente os nossos processos de gestão dentro dessa característica que me parece interessantíssima nessa fase mais contemporânea, que é a administração, a programação, os processos de gestão por fluxo, ou seja, aqueles processos que estão abertos às novidades, aos adventos, às coisas que chegam de última hora - e muitas vezes, exatamente por chegarem de última hora, chegam com uma carga extraordinária de dinamismo de possibilidades - em oposição àquele que é o sentido mais clássico da gestão, que a gestão por ciclos, que aliás muitas vezes nos é cobrado, esse ater-se à gestão que é minuciosamente planejada de antemão, tudo muito previsto, tudo muito programado, os planos de governo... Aliás, nosso setor inclusive, a cobrança extraordinária por um plano para a gestão cultural...tudo isso é muito interessante sim, temos que prever o que queremos fazer, mas eu uso versos de uma canção minha que diz exatamente: "o povo sabe o que quer, mas o povo também quer o que não sabe". E essa é uma máxima fundamental para nossa gestão, para nossa consciência de gestão pública, a gente tem que saber o que vai fazer junto com o povo, mas temos que estar abertos o tempo todo para as novidades, as coisas que chegam de última hora, os desafios para que nos juntemos, para que nos demos as mãos e façamos as coisas que são propostas ali e que chegaram ali como um relâmpago naquele momento.

Esse Fórum está caindo nas nossas cabeças assim como um relâmpago. Ele vem em boa hora, chega exatamente provocando essa nossa capacidade de respondermos prontamente aos desafios que nos são postos nessa última hora. E o que ele vai trazer para nós? Essa reunião extraordinária de visões, concepções, esse partilhamento imenso de visões sobre a cultura no mundo vem nos ferramentar, nos instrumentalizar exatamente para que possamos no futuro trabalhar essa outra forma de gestão, essa outra forma de programação, que é a programação por ciclo. Então, você veja aqui a fenomenologia dessa coisa moderna da gestão por fluxo, provendo instrumentos e meios para a gestão por ciclos.

O improviso nos abastecendo para o sentido da provisão antecipada para o futuro. Então é isso que o Fórum vai nos dar: uma grande provisão de meios, de ferramentas, de possibilidades para a gestão futura da cultura no mundo e sem dúvida para a nossa inserção brasileira, a contribuição extraordinária que o Brasil pode, deve e tem que dar à cultura da humanidade nesses momentos novos, pós-modernos da cultura da humanidade, em que temos que criar novas formas de gestão internacional, novas formas de governança internacional, configuração definitiva de um governo mundial do qual estamos cada vez mais necessitados para gerir problemas extraordinários como a questão dos grandes tráficos, e não são só dos negativos, mas os positivos também, como os tráficos das pessoas, o grande trânsito novo das pessoas nos planetas; os africanos na Europa, os europeus na América do Sul, os sul americanos na Ásia e assim por diante. Isso tudo é o grande fenômeno cultural do mundo moderno ao qual temos que responder de uma forma positiva e imediata e esse Fórum é exatamente uma das primeiras respostas que estamos dando, por essa configuração sinérgica, extraordinária entre Governo Federal, prefeituras, governo de estado, organizações não governamentais, associações comunitárias; esse é o modo da gestão moderna, esse é o exemplo que estamos dando para o Brasil e para o mundo.

www.forumculturalmundial.org