:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor



Fernando Fogliano
Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     CINEMA

Festival de Havana


Mais de 500 filmes participam na seleção oficial

No período de 6 a 16 de dezembro, acontece o 27º Festival de Cinema Latino-Americano de Havana. Ao todo, serão exibidos 41 filmes brasileiros nas diversas mostras desse grande evento cinematográfico em Cuba.

O secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Orlando Senna, estará presente no Festival. Outro objetivo da sua viagem é oficializar o acordo de 'escambo' de filmes, estabelecido no ano passado com o Instituto Cubano de Arte e Industria Cinematográficos (ICAIC). O programa prevê intercâmbio de longas-metragens entre os dois países. Mas, como lembra Senna, a definição de escambo é “a troca de mercadorias ou serviços sem fazer uso de moeda”.

“O programa é mais uma tentativa de nos aproximarmos dos países latino-americanos”, observa o secretário do audiovisual, que está levando uma primeira lista de filmes brasileiros a serem distribuidos em Cuba. Fazem parte Depois Daquele Baile, de Roberto Bomtempo; Garotas do ABC, de Carlos Reichenbach; Durval Discos, de Anna Muylaert; Do Luto à Luta, de Evaldo Mocarzel; e Sábado, de Ugo Giorgetti.

Senna aproveita, ainda, a viagem para firmar convênio com a Fundação do Novo Cinema Latino Americano para a expansão do Programa DocTV Ibero-América.


O Brasil no Festival

Mais de 500 filmes integram a seleção oficial do Festival de Havana. Dentre eles, três longas-metragens brasileiros: Crimes Delicados, de Beto Brant; Veneno da Madrugada, de Ruy Guerra; e Jogo Subterrâneo, de Roberto Gervitz. Na competição de curtas estão O Último Raio de Sol, de Bruno Torres, e O Xadrez das Cores, de Marcos Schiavon.

Para a mostra, também competitiva, Operas Primas, dedicada a longas de estreantes, foram selecionados Como Fazer um Filme de Amor, de José Torero; Contra Todos, de Roberto Moreira; Olga, de Jayme Monjardim; Cinema, Aspirinas e Urubus, de Marcelo Gomes; Cidade Baixa, de Sergio Machado; e Redentor, de Claudio Torres.

Na competição de documentários foram incluídos Peões, de Eduardo Coutinho; Entreatos, de João Moreira Salles; e os longas Brilhante, de Conceição Senna; Doutores da Alegria, de Mara Mourão; e Paz, de Cica Tavares.

Sete produções brasileiras participam da mostra Animação: A Esperança de um Menino, dos alunos de escolas municipais Alberto Rangel e Alphonsus Guimarães; A Rosa, de Gordeeff; O 3º Tomate, de Claúdio Roberto; O Artilheiro, de José Clementino Jr.; O Boto, da empresa MultRio; O Ditado, de Tomas Creus e Lavinia Chianello e O Vento, de Sávio Leite e Lara.

Fora de competição serão exibidos longas como Cazuza, o Tempo Não Pára, de Sandra Werneck e Walter Carvalho; O Casamento de Romeu e Julieta, de Bruno Barreto; e os documentários 500 Almas, de Joel Pizzini; e Arte Bruta, de Walter Carvalho.

O documentário O Sonho de Loreno, de Alana Almondes (Mantenópolis/ES), também foi selecionado para participar do Festival Internacional de Havana. O vídeo faz parte do Projeto Revelando os Brasis da Secretaria do Audiovisual do MinC.

O cinema brasileiro também estará presente em duas mostras informativas: Panorama Latino-Americano e Seção Documentário .


Outras informações sobre o Festival: www.habanafilmfestival.com


(Déa Barbosa/Sérgio Bazi)
(Secretaria do Audiovisual do MinC)