:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor


Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     CINEMA

MÁ EDUCAÇÃO

Valmir Junior*

Antes de "Fale Com Ela", Pedro Almodóvar sempre apostou num estilo mais cômico, calcado no melodrama, do que propriamente trágico e/ou dramático. Pois bem, chega "Má Educação", filme com Gael García Bernal (o Che de "Diários de Motocicleta"), que se aprofunda mais no drama instalado com "Fale Com Ela".

Almodóvar prova mais uma vez que com ele não existe a tal "crise criativa". Ele escreve e dirige com perícia a história de Ignacio Rodriguez, menino abusado sexualmente por Padre Manolo, diretor de sua escola. Ignacio logo cedo descobre o amor pelo colega Enrique, que é expulso do seminário. Mais tarde, Ignacio (Gael) adota o nome Angel, nome artístico, que procura filmar uma história escrita por ele mesmo, intitulada "A Visita", baseada na biografia do próprio Ignacio e reencontra Enrique já adulto (Fele Martínez), agora um cineasta, para filmar a história que escreveu.

A partir daí, o filme entra num jogo de metalinguagem, o cinema falando do cinema, e não sabemos se o que vemos é o que realmente se passou, se é a história do filme dentro do filme ou se a história do filme dentro do filme é parecida com a "real" e assim se segue a confusão, orquestrada habilmente pelo diretor espanhol. Calma, você vai entender se assistir.

Com a interpretação inspirada de Gael García Bernal e um apoio estupendo do restante do elenco, é engraçado tentar ao mesmo tempo entender o que se passa e também gostarmos de sermos levados na espiral maluca da história, vendo que essa se forma como a mesma espiral da paixão, pois este é o tema do filme. Todas as personagens são movidas por extrema paixão por algo, porém os objetos são diferentes. Retratadas aqui as muitas facetas de tal sentimento, Almodóvar insere traços autobiográficos e brinca com as mais diferentes situações sem julgar suas personagens, apenas, como o próprio disse em entrevista, "representando-as", o que não deixa de ser maravilhoso, pois de filmes moralistas já bastam os hollywoodianos.

Mesmo assim, é com infeliz tristeza que constato que os filmes deste cineasta não são tão bem vindos e digeridos pelo grande público. Pena. Justamente esse que é sem dúvida o melhor trabalho de Pedro Almodóvar, que, aliás, foi ignorado no Festival de Cannes... O mais engraçado é que "Fahrenheit 11 de Setembro" ganhou a Palma.

Aliás, vale a pena assistir esse e todos os outros trabalhos do diretor. E pra quem reagir mal aos travestis, às mortes, ao melodrama, às cenas nada pudicas, à homossexualidade, aos nus, aos closes, ao mundo feminino e todos os outros aspectos da obra "del director español", lhes digo uma coisa: não fechem os olhos para o que está ao seu redor. Está ali, pode ter certeza.


"Má Educação" (La Mala Educación, 2004). Dir.: Pedro Almodóvar. Elenco: Gael García Bernal, Fele Martínez, Daniel Giménez Cacho, Lluís Homar, Javier Cámara, Nacho Pérez, Raúl García Forneiro. Estreou em 12 de novembro.



*Valmir Junior
"Paulista, 23 anos, virginiano e doido por chocolate. Esse é Valmir Junior, um ator amador (ou amador ator?), fã de teatro (claro), filmes, exposições e outros assuntos relacionados à Arte (além de ser um bom garfo também). É a primeira vez que resenha para um site e dá medo nele, mas o desafio já foi aceito, então: "Merda!!!" (Não levem a mal! É "Boa Sorte" no Teatro)."