:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor



Alberto Cataldi
Fernando Fogliano
Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     ARTIGOS

QUEM ORIENTOU ESSES IGNORANTES?
por Anselmo Massad e Glauco Faria


"Metade dos pais brasileiros são alcoólatras crônicos, têm quantos filhos quiserem, um exemplo doméstico mortífero, horrível"

Ser acusado de portador e propagador de idéias velhas e ultrapassadas por um senhor de 82 anos não é a melhor maneira de começar uma entrevista. Mas foi assim que José Ângelo Gaiarsa iniciou a conversa, discutindo os textos da Fórum que comprou na banca. "Os argumentos são muito bons, os autores também, mas são as mesmas idéias antigas, o mesmo raciocínio de outras publicações. Sempre a mesma fórmula de apontar o culpado e o que se deve fazer". E arrematou: "então? Vocês vão fazer as mesmas perguntas de sempre para que eu dê as mesmas respostas de sempre ou vamos tentar ir além?"

O desafio foi aceito, e Gaiarsa metralhou polêmicas e pontos de vista inovadores. "Estou muito em busca disso, das coisas que não aparecem e que estão mudando o mundo e que o nosso pensamento antigo não se dá conta". E sobrou até para os pais: "Dizem que os pais não orientam os filhos, mas quem orientou esses ignorantes? Metade dos pais brasileiros são alcoólatras crônicos, têm quantos filhos quiserem, um exemplo doméstico mortífero, horrível. A família é muito falada, elogiada e em nada cuidada".

Veja a seguir os principais trechos da conversa.

Instinto de cooperação

O Eduardo Galeano diz [referindo-se à conferência do escritor uruguaio no FSM2]: é melhor pensar no nós que no eu. Tenho uma argumentação vital, que o mais fundamental dos instintos humanos é a cooperação e que a sociedade capitalista perverteu esse instinto com a noção de um falso individualismo. Por que o capitalismo vai muito bem? Porque é baseado, em alto grau, na inveja coletiva, porque todos nós queremos ser capitalistas. Temos inveja de todos os que possuem dinheiro, todos gostariam de comprar muita coisa gostosa que a gente não tem.

Três argumentos

Vou passar rapidamente por três gigantescos argumentos para provar que o instinto de cooperação é muito maior que o de autodefesa, muito maior que o do sexo. Em primeiro lugar, alguns dos maiores biólogos contemporâneos defendem a idéia de que toda a vida é simbiótica. Os organismos simples foram se juntando e criando organismos cada vez mais complexos. Bactérias foram se unindo, formaram protozoários e assim por diante... Nosso corpo é uma gigantesca colônia de subcolônias. O fígado, os rins, o cérebro, todos são colônias que rendem muito mais funcionando juntos. Uma forma espontânea de cooperação que se aplica aos vários níveis biológicos. Qualquer ecossistema é cooperativo, se você tira três elementos ele se desorganiza completamente.

Uma frase ficou muito marcada para mim, de dois "animantropólogos" - que estudam os homens dado o comportamento animal. Só a espécie humana faz trocas. "Me dá seu marreco porque você tem dois, que eu te dou dois peixes porque tenho três". Os primeiros conquistadores da humanidade foram os pescadores, que iam pelo mundo trocando. A raiz civilizatória é muito mais comercial que guerreira, o que acho muito bonito. Trocas são a essência da economia. O que é a economia de um país senão a soma de todas as trocas que acontecem a cada instante retratadas na bolsa de valores? A bolsa é uma feira instantânea, quantos caminhões de urânio por quantos navios de petróleo. A troca nos uniu completamente. Tudo o que você faz é para os outros, e tudo o que você tem foi feito pelos outros.

Quer prova mais absurda de que nós somos nós, e não eu? Imagine-me, coitado de mim, no meio da floresta amazônica, pelado. Não duro três dias. Então veja como é profundo esse instinto de cooperação, que não é falado. Predomina a frase capitalista: "O homem é naturalmente egoísta", e a lei número um do capitalismo: "se dá lucro, está certo". "Olha, que sujeito sensacional, ficou rico! Era um bandido como o Fleury, roubou até os colarinhos e foi eleito outra vez, e está aí para roubar mais".

O próximo

Amor ao próximo não é um conselho de "bom coração", dado por Jesus Cristo. É estranhíssimo que a gente não perceba isso. Estamos aqui porque todos amam todos, tanto que todos cooperam para o bem de todos. Está nascendo um pensamento na sociologia, que diz que hoje ninguém sabe tudo de tudo, todo mundo sabe um pouquinho e a partir daí começam as combinações de trocas espontâneas. Talvez nasça uma salvação na qual ninguém está pensando sozinho, mas coletivamente, sem perceber. Nós avaliamos todo o presente à luz dos padrões passados. Causa-efeito, isso liga com aquilo, tudo liga com tudo. Isso é uma bagunça gigantesca, ninguém tem idéia global do que está acontecendo, cada um sabe um pedacinho.

TV democrática

Vamos além? Qual é o país perfeito? Não sei se é Letônia ou Estônia. Num desses países, que tem de 2 a 3 milhões de habitantes, todos os lares estão conectados à internet, o que permite um plebiscito de um dia para o outro. Quando o Congresso discute alguma coisa que possa interessar, consulta TODA a população. Esse é o limite da democracia realizada. Eles estão determinando o próprio destino, não tem mais as costas largas do governo. Ou todos somos culpados ou somos todos inteligentes. Qual é a instituição mais próxima disso no Brasil? (Quando os intelectuais lerem isso vão me xingar) . É a Rede Globo de Televisão. As novelas são vistas por mais ou menos 500 milhões de pessoas todos os dias no mundo inteiro, já que são exportadas para diversos países, coisa que nenhuma outra instituição tem. Eles fazem um filme por dia, juntando os capítulos das novelas, pondo Hollywood no chinelo. Os diretores da Globo têm em suas mesas um monitor com a audiência de cada emissora minuto a minuto. Todos têm úlceras quando um programa começa a cair, a ficar sem ibope. Sem ibope não tem programa. A Globo não faz o que quer, faz o que o povo brasileiro exige, porque se ela faz uma novela meio torta cai a audiência, corta a cabeça do diretor, muda, acaba a novela! Eles vivem disso. A Globo é democrática sem querer. Todos influem na história. Não é o Boni que resolve, não é "o FDP do Roberto Marinho". Quando as pessoas vão entender que é feito um plebiscito todo dia aqui? Você vota quinze vezes por dia usando os programas. Você está determinando o destino da televisão, que é um fantástico meio de comunicação popular. Ela é interativa. E tem um lado que me orgulho de ter descoberto. Pegue um jogo de futebol. Você tem de doze a quinze câmeras. O mesmo espetáculo é visto por uma panorâmica, uma corrida de conjunto, pelo chute de escanteio, de trás do gol, panorâmica de cima, geral. O mesmo objeto é visto de um número incontável de ângulos. Então se percebe que não existe uma verdade ou a minha verdade, mas umas cinqüenta verdades. Isso é passado subconscientemente, mostrando que tudo tem muitos lados, enquanto nas conversas comuns só existem o bem e o mal, o certo e o errado, a salvação americana ou a desgraça.

TV revolucionária

A televisão é um tremendo fator de revolução, porque ela vai mostrando tudo o que o miserável não tem. Em 86% dos lares brasileiros há televisão, 86%! Ela estimula violentamente o desejo e a frustração. Todo mundo quer o que os que aparecem na tela têm.

Bons atores

Há ainda outro avanço. Talvez por motivos de economia, a Globo está pondo de 20% a 25% - não medi exatamente - de closes nos rostos dos atores, porque cenário custa caro. Se você aproveitar bem o dramático dos rostos, precisa de pouca coisa. Você pode ver, cerca de 30% das novelas não têm montagem nenhuma, só caras de boa qualidade. Isso está ensinando às pessoas a comunicação não verbal, que é minha paixão. Você comunica talvez muito mais na cara e no gesto que na fala, outro dos caminhos que estão desabrochando totalmente. O que passa na televisão são pessoas, não são discursos. Há um enorme jogo de simpatias e antipatias, e ninguém sabe o que vai sair disso. Mas a minha paixão é a importância da comunicação não-verbal entre as pessoas. Ela pode estabelecer uniões inconscientes muito profundas assim como estabelecer antipatias que você não compreende. Foi a cara, o jeito, o tom de voz...

Realidade e simulacro

Por enquanto, a internet escrita tem a ver com a antiga novela de rádio, só falada, embora a internet ainda não tenha voz. As pessoas disfarçadas dizem muito mais a verdade sobre o que sentem e pensam que quando olhadas. Isso acontece todos os dias, namoros entre pessoas que se disfarçam e têm uma sinceridade de declaração que jamais teriam em presença. Uma amiga minha - que não é das mais belas figuras - contou-me que os orgasmos que tinha conversando com certo homem que não sabia quem era foram os mais intensos de sua vida. A palavra real é a mais explosiva da filosofia. Os hindus sabem há muito tempo do poder da imagem mental e abusavam das visualizações para se organizar. Hoje está provado que imaginar com clareza é quase tão bom quanto fazer. Imaginar muito não é tão distante do real quanto parece, é até mais sincero que face a face. Você pode pôr suas fantasias muito mais às claras. Não estou dizendo que seja boa essa distância, mas que ela não é só desvantagem. Eu deixaria uma interrogação. E olha que sou um tremendo defensor das técnicas corporais, acho a pele uma coisa espantosa. Você tem 500 mil pontos sensíveis na sua pele, em 2 metros quadrados, cientificamente determinados. Eu prefiro suspender o juízo e duvidar um pouco do meu julgamento, porque ele é velho.

Psicanálise

Deixe-me explicar a psicanálise, porque ela não é um fenômeno de hoje. Freud nasceu em 1850, formou-se como pessoa no século 19 e desenvolveu sua teoria até o começo do século 20. Antes da TV, da 2a Guerra, da internet e do computador e das viagens espaciais. Pergunto-me se ele ainda pode ser tão verdadeiro. O mundo mudou muito, a família que hoje existe não tem nada a ver com a família burguesa de Viena, onde estudou. O mais interessante é que a psicanálise freudiana não tem olhos, põe o cara lá e estuda, mas não o olha diretamente. A psicanálise não respira. O homem freudiano não tem tórax, porque passa pelas fases anal, oral e genital, tem aparelho digestivo, testículos e ovários, mas não tem pulmão nem coração. O homem freudiano não tem pele, porque ninguém encosta em ninguém e não se mexe. Não estou criticando Freud, mas tomando a ele e aos psicanalistas como sinal de como se aceita uma teoria com essas carências no nosso mundo. Essas idéias são um dinossauro que não acompanhou nada do que está acontecendo no mundo.

Lado sombrio da família

Por cinqüenta dos meus 82 anos, de 6 a 8 horas por dia eu só ouvi queixas familiares. Ninguém conhece o lado sombrio da família melhor que eu. Sinto-me plenamente autorizado a falar mal dela, o que tem de ruim não está escrito. Ela é o eixo do conservadorismo, sim. "Pai e mãe estão sempre certos": isso é o próprio tiranismo à Saddam Hussein. E o pior é que muitas mães e pais acreditam nisso. Embora hoje a garotada mais escolada, mais violenta e mais rebelde, já esteja consertando isso. Mãe, pai e filho num apartamento é uma loucura, muita convivência não funciona. Mais filhos é até melhor que um ou dois, porque dá diversidade de contato. Mas a criança mesmo muito pequena já vai para a escola maternal, creche. Desde pequeno começa a afrouxar essa intensidade de contato, que é a causa das neuroses. Psicanálise quer dizer afrouxar laços familiares. Complexo de Édipo é o que tem nos Jardins, na favela é encrenca de família, mas é a mesma coisa. Todo mundo vive por aqui com a família em particular. Exceto em público, a família da TV no programa da Hebe: "Nossa, eu sou tão feliz, meus filhos são uma jóia" (risos) .

Segunda escola de família

Depois de ouvir tudo isso sobre família a solução que eu vejo, idealista - duvido que aconteça -, é uma escola de família. A sociedade deveria ter dois tipos de casamento. A pessoa se casa com quem quiser e vai morar com ela. Se depois de dois anos de convivência o casal achar que está se entendendo, fica autorizado a ter filhos e a juntar bens. Mas para ter filhos é preciso passar por uma educação especial. Dizem que os pais não orientam os filhos, mas quem orientou esses ignorantes? Metade dos pais brasileiros são alcoólatras crônicos, têm quantos filhos quiserem, um exemplo doméstico mortífero, horrível. A família é muito falada, elogiada e em nada cuidada. Na América do Norte isso está começando a brotar. Os cientistas fizeram um boneco que tem todas as necessidades fundamentais do bebê. Ele faz xixi, cocô, quer mamar, chora, esperneia. Quando aparece um casalzinho dizendo querer filhos, leva o boneco por dois meses. Se acharem que está tudo bem acordar no meio da noite, berrando, se fizerem a experiência do bebê dois meses e acharem ótimo podem ter o nenê. Porque um nenê é um inferno, algo que só se descobre quando se tem.

Crimes familiares

Por que há os filhos que matam pais e avós e por que isso tem essa repercussão gigantesca? Os fundamentos da família clássica - pai, mãe e filho - estão começando a derreter. Esses crimes são um dos sintomas mais gritantes, mas há outras coisas, como a criançada que sai muito mais cedo, que tem muito mais atividades - boas ou más - e as mães que trabalham fora. As crianças estão sendo muito menos controladas, muito menos desviadas e envenenadas pelos velhos valores. Podem até estar sendo envenenadas pelos novos, mas não é esse o ponto. Hoje em dia todo mundo brinca com a supermãe, com o superpai. Ontem eu ouvi uma história bonita de um senhor que contou que seus três filhos chegaram pra ele e disseram: "Pai, a gente não quer mais ter pai, mas você tem que ficar amigo da gente". Essa é a lição de hoje. Não queira mais ensinar como era o mundo do seu tempo, porque você estará falando sozinho. Troca de experiências é outra coisa. Trocar experiências é ótimo, de sentimentos nem se fala, mas nada de lições de vida.

Distância entre gerações

A distância entre as gerações está maior que qualquer outra anterior. E isso se deve ao computador e à televisão, sobretudo. Você não imagina o que se ignorava no meu tempo. Ninguém sabia nada de nada. Nasci em Santo André, que já era o primeiro município industrial do Brasil, a 30 minutos de São Paulo. Era uma cidade do interior, ninguém sabia nada de São Caetano, a 7 quilômetros, nem de São Bernardo, a 6 quilômetros. Ir até lá era visitar a família distante. Só se sabia da vizinhança, dos amigos e dos parentes próximos. Visita naquele tempo era um saco. Quem nasceu, quem morreu, o parto que demorou, a operação que foi terrível, o fulano que casou... Vocês não fazem idéia do que era meu mundo antes da televisão. Ela é uma janela para o mundo, digam os intelectuais o que quiserem. Hoje acho que um habitante analfabeto de uma cidade com 50 mil habitantes sabe mais sobre o mundo que Aristóteles do mundo dele, só olhando esse negócio que traz notícias de toda parte. Sabe tudo isso, é de esperar que comece a juntar.

Machões

Durante muitos anos, morria de inveja dos machões. Era difícil chegar perto das moças pra conversar, o que eles faziam bem. Isso foi até eu saber que eles não faziam nada. Os homens são extremamente monótonos na cama. Em média, são 10 minutos de agrados e 2 de sexo, e isso já é excepcional. E todos sabemos que os machos são absolutamente dispensáveis, já que um homem numa só ejaculação bastava para fecundar todas as mulheres dos EUA. Por isso é que eles precisam se exibir, se mostrar tanto para parecerem úteis. Fizeram todas as guerras assim, homens matando competidores e rivais. E criaram ainda o assalto coletivo, saqueando uma cidade inteira, estuprando as mulheres e levando os que sobraram como escravos. Mas os machos não são grande coisa.

Sexualidade

A sexualidade não é muito diferente de antes. A mãe continua não tendo xoxota e as crianças não podem ter xoxota nem pinto. A sexualidade natural de bicho saudável é castrada. Na adolescência, desenvolvemos uma sexualidade social. Tudo o que se aprende é com os similares. Se em casa ninguém tem pinto, na gangue, no grupo de adolescentes, todos só têm pinto. É impensável o desenvolvimento natural da sexualidade num esquema monogâmico, que é feito para baixar as necessidades sexuais. Se eu visse uma menina de 4 anos mexendo na xoxota eu daria uma piscada, um sorriso e diria: "é bom, né?" Talvez fosse chamado de pervertido. Mas não é à toa que todos os palavrões são anti-sexuais. Será que com todos esses palavrões a gente vai fazer bonito na cama? Globalmente, a mulher é mais amarrada do que o macho, porque quando jovem é vigiada pela mãe e, quando adulta, pelas amigas. Se a mulher sair com mais de um, logo é a piranha. E há muito mais masturbação que relações sexuais, além do que somos muito monótonos até nisso, não brincamos com as possibilidades. Uma mão com um pouco de criatividade pode fazer coisas incríveis.

Horror à guerra

Ouve-se muito o argumento de que a exposição constante à violência insensibiliza para o assunto. Há um inegável fundo de verdade, mas vou responder um pouco pelo avesso. Eu vi a 2ª Guerra Mundial. A 3ª não aconteceu, porque se tinha idéia do horror da guerra, porque a Europa havia sido destruída. Não é à toa que Alemanha e França ficaram contra o ataque ao Iraque. E é muito estranho que a Inglaterra esteja a favor. O horror à guerra está crescendo cada vez mais. Dez dias antes do primeiro foguete, a gente ficava aqui pensando 'vai ter ou não vai ter', porque o mundo inteiro estava mobilizado contra. Gigantescas passeatas, xingamentos de toda ordem. A minha esperança é que segurem a próxima.

Fim do autoritarismo

Gosto de pensar (e espero) que essa guerra e o governo do Bush sejam um dos últimos suspiros do autoritarismo. Meu ponto é que há duas possibilidades. Ou o autoritarismo começa a desaparecer - e eu tenho alguns dados interessantes a respeito - ou a gente liquida a humanidade. O Paquistão, a Índia, a Coréia do Norte e outros poderes estão com o dedo no gatilho.

Ser americano

Nesse aspecto, não há o fato de que os EUA são a favor porque a guerra é no Iraque, não nos EUA, e outra, que o Bush acaba manipulando o medo dos terroristas, ou seja, eles acreditam que isso é uma defesa. Eu não queria ser norte-americano aqui e agora. A qualquer momento, de qualquer lugar, pode vir alguma bomba. Essa é a definição do pânico, e o Bush está capitalizando isso. Realmente não sei se preferia estar nos EUA, em Nova York, ou num lugarzinho mais espirrado no Iraque. Porque lá ao menos o perigo está na cara, vem um bruta tanque, da explosão que eu estou vendo. Nos EUA, você pensa: 'Será que meu vizinho é terrorista?' É uma angústia coletiva.

Drogas

O melhor negócio do mundo são as armas. O terceiro melhor negócio é o petróleo, o segundo são as drogas. Para mim uma coisa explica a outra. Esse mundo é tão infernal e tão ruim que só saindo dele. Ninguém pergunta quando discute drogas por que as pessoas as usam. "Ah, é para se alienar". Graças a Deus que eu consigo me alienar dessa loucura coletiva que está em qualquer noticiário, em qualquer jornal, o que é chamado mundo normal. A gente engole porque está acostumado. Tem gente que sobreviveu dois anos em campo de concentração. Não dá para imaginar como; não sei se nós somos tão diferentes. "Ah, eu quero um trabalho". Oito horas por dia de escravidão para ganhar, com sorte, 600 ou 700 reais por mês. E você tem dois filhos e aluguel. Essa é a situação de quatro quintos da população. Segundo, ninguém quer saber, mas não vai mais ter emprego, a automação está tomando conta de tudo. Não vai mais ter emprego, simples. Ninguém pode prometer que vai arrumar emprego porque não vai arrumar.



www.revistaforum.com.br