:: institucional           :: projetos           :: serviços           :: sala de imprensa          :: parcerias          :: loja          :: contato     

CANAIS WOOZ

artigos
agenda cultural
artes visuais
cultura
cinema
dança
entrevistas
fotografia
internet
literatura
música
teatro
terceiro setor



Fernando Fogliano
Roseli Pereira
Valmir Junior



clique aqui e faça um cadastro para receber informações Wooz
     ARTES VISUAIS

NAJI AYOUB EXPLORA INTUIÇÕES CROMÁTICAS
EM EXPOSIÇÃO NA MONICA FILGUEIRAS GALERIA DE ARTE


O ecletismo e o desprendimento de qualquer conveniência que possa ser chamada de fase caracteriza a obra do artista plástico libanês Naji Ayoub. Esta linha de trabalho é determinante em sua décima-primeira mostra individual, em cartaz até 02 de abril na Monica Filgueiras Galeria de Arte.

O artista também lança o livro Naji Ayoub, um registro de toda a trajetória do artista, com textos do crítico de arte Jacob Klintowitz.

Radicado no Brasil, Naji é um artista movido pela intuição e, a partir dela, define o sentido de seu processo criativo. Nas 15 obras reunidas para esta exposição - datadas entre 2004 e 2005 - transita entre suas influências geométricas, gestualistas, expressionistas e abstratas. Ao invés de rótulos, porém, prefere estimular a percepção do espectador, adicionando às obras símbolos gráficos, variações cromáticas incisivas e um considerável teor lúdico.

Para o crítico de arte Jacob Klintowitz, a obra de Naji Ayoub obedece a mais rigorosa coerência. Do núcleo em que emerge o seu trabalho, não existe a cronologia linear (...) O que parece sem método e confuso ao olhar desatento, é uma organização superior, um arquivo sempre em processo, afirma.

Trajetória - Naji Ayoub nasceu no Líbano, em 1954. Conheceu diversos ateliês em sua passagem pela Europa durante os anos 70 e, de volta ao Brasil, estudou com Fernando Stickel, de 1986 a 1989.

Expôs na American University de Beirut (Líbano) em 1968. No Brasil, já realizou individuais no Gabinete 144 (1993 e 1995), no Museu Brasileiro de Escultura - Mube (1996), no Espaço de Arte Contemporânea (1996), na galeria Crouix Rouge (Suiça, 1999) e na Galeria Arte Infinita (2002). Também possui obras no acervo da Fundação Padre Anchieta.

Já as participações em mostras coletivas incluem: 7º Salão Paulista de Arte Contemporânea (1989), Gabinete Columbia (1994), Espaço de Arte Sérgio Caribé (1995), Salão de Arte de Amparo (1997) - premiado com medalha de prata e São Paulo - Uma Viagem de 450 Anos (2004).

Livro - Com 224 páginas e tiragem inicial de 5 mil exemplares, a publicação Naji Ayoub será lançada simultaneamente à abertura da exposição. O livro abrange sua produção artística a partir de 1992 até 2004, com 240 telas/esculturas reproduzidas e selecionadas entre as aproximadamente 1,8 mil realizadas pelo artista.

O crítico de arte Jacob Klintowitz, num dos textos do livro, define assim o trabalho do artista: (...) Ayoub recupera a memória emocional de uma sensação luminosa, restos de um sol perdido, olhos encadeados na emanação da natureza. Ou fragmentos do que terá visto ou imaginado, sempre coisas acontecidas e vividas, na fronteira onde a matéria parece espiritualizada. Memória amorosa e concretude no limite da ausência. (...)


Mais informações à imprensa,
EDITOR - EDISON PAES DE MELO
Com Lúcio Nunes e Regis Motisuki
(0xx11) 3824-4200 / 3822-0071


FICHA TÉCNICA

NAJI AYOUB
Exposição Mônica Filgueiras Galeria de Arte
Nº de Obras: 15
Técnicas: Acrílica sobre tela
Período: 2004 e 2005
Exposição: de 18 de março a 02 de abril de 2005

Preços: R$ 4 a R$ 6 mil Horários: Segunda à Sexta-feira, das 11h às 19h Sábado, das 11h às 14h; Endereço: Rua Bela Cintra, 1533 (0xx11) 3082-5292 - Email: mofilgue@zaz.com.br


LIVRO Naji Ayoub
Textos Jacob Klintowitz
Número de Páginas: 224
Formato: 21 x 29,7 cm
Papel: Couche fosco 150 g
Obras reproduzidas: 240
Edição do autor
Tiragem inicial: 5 mil exemplares
Preço: R$ 100,00